OU
Ver todas as unidades

O Pilates Clínico

 
Através do Pilates clínico, o aluno se torna consciente de sua postura corporal, corrigindo possíveis hábitos incorretos do dia a dia. Nenhuma modalidade de Pilates foca a hipertrofia, no caso clínico o objetivo é investir na prevenção e reabilitação de lesões. Alterações no equilíbrio e movimento normais do corpo bem como alterações no recrutamento muscular podem ser corrigidas através da técnica. Dessa forma, é possível evitar o surgimento de dores crônicas futuras, especialmente na coluna vertebral.
 

O que é o Pilates clínico?

 
pilates-clinico
O método é totalmente adaptável, não existe um repertório de exercícios padrão para todos os pacientes. Dessa forma, o objetivo no Pilates clínico é voltado, especialmente, para a reabilitação de doenças na coluna vertebral e outros problemas de saúde, cujo fortalecimento muscular e articular proporcionado pelo método pode favorecer o quadro.
São trabalhados os princípios básicos do Pilates para realizar um atendimento específico com esses pacientes portadores de alguma patologia, que estão ou já passaram por algum tratamento ou que buscam, simplesmente, a prevenção de doenças ou das recidivas de algum problema já tratado.
 

Princípios do Pilates

 
– Respiração: é ela que favorece a organização do tronco, a estabilização da região lombo-pélvica e o relaxamento da musculatura inspiratória acessória dos ombros e do pescoço.
– Concentração: provoca a transformação do pensamento em movimento, dando-se importância a todas as partes do corpo para que os movimentos sejam realizados com eficiência. Durante a aula, o praticante deve estar com o pensamento ali e não “passeando” por outros lugares.
– Controle: está intimamente ligado à concentração e se refere ao aprendizado motor dos movimentos.
– Fluidez: somada à leveza evita o desperdício de energia, permitindo a utilização, apenas, da energia necessária à realização daqueles movimentos.
– Centro: o chamado “POWER HOUSE”, ou centro de força. Um conjunto de músculos responsáveis pela sustentação da coluna e dos órgãos internos. Uma vez fortalecida, essa musculatura proporciona a estabilização do tronco e um alinhamento biomecânico com menor gasto energético.
– Precisão: melhora o controle e o equilíbrio dos diferentes músculos envolvidos num determinado movimento, sem que haja gastos energéticos desnecessários, provocados por contrações inadequadas.
 

Como praticar a aula de Pilates clínico?

 
Pilates-clínicoAntes de começar a praticar a técnica, o aluno deve passar por uma avaliação específica realizada pelo fisioterapeuta acompanhante. Com base nos resultados avaliados, um programa de exercícios será montado individualmente para cada aluno, de acordo com suas necessidades, ritmo e limitações. A quantidade de aulas realizadas semanalmente também vai depender dos resultados da avaliação inicial.
Normalmente, uma aula de Pilates clínico tem duração de cerca de 60 minutos e o mais indicado é que o profissional acompanhante oriente, no máximo, dois alunos simultaneamente (essa característica é o que garante a segurança e eficácia da técnica, uma vez que o aluno receberá uma atenção maior durante a prática dos movimentos).
 

Principais benefícios do Pilates clínico

 
– Prevenção ao aparecimento de lesões;
– Melhora da postura corporal, da força e da resistência muscular;
– Alivia tensões, fadigas e dores articulares e musculares;
– No caso de lesões é eficaz no processo de reabilitação;
– Atua no tratamento de disfunções do pavimento pélvico;
– Auxilia na recuperação da mulher no pós-parto;
Leia também: O Pilates no pós-parto
– A melhora do condicionamento físico ajuda na execução de outros exercícios físicos;
– Reduz riscos de quedas.
O Pilates clínico é, portanto, essencial no caso de pacientes com necessidades especiais, apresentando indicações específicas de reabilitação, reequilíbrio e fortalecimento do sistema músculo-esquelético, a fim de que seu corpo retorne ao quadro de funcionalidade normal.
 

Diferenças entre o Pilates clínico e o Pilates fitness

 
A diferença básica entre ambos está na finalidade. Normalmente, pacientes que procuram pelo Pilates fitness desejam tonificar, fortalecer e até emagrecer o corpo. E os exercícios nesta modalidade são voltados para um trabalho global, em toda a estrutura corporal. O Pilates clínico é orientado aos pacientes que necessitam de exercícios terapêuticos, voltados à reabilitação. Estes, por sua vez, estão mais focados nos abdominais e na coluna vertebral.
 

Quem pode orientar as sessões de Pilates clínico?

 
Normalmente, as sessões de Pilates são orientadas por educadores físicos e fisioterapeutas. Mas no caso do Pilates clínico, o ideal é que o paciente realize os movimentos sob a supervisão de um fisioterapeuta. Em ambos, os exercícios podem ser realizados tanto no solo (com o auxílio de acessórios, como bolas e elásticos) quanto em aparelhos específicos para cada objetivo.
 

Cuidados durante uma sessão de Pilates

 
pilates-clínico
O método oferece muitos benefícios, mas é imprescindível que o paciente atente para alguns cuidados durante a sessão de Pilates, caso contrário, os resultados não serão tão satisfatórios quanto poderiam.
Por isso, veja os principais cuidados:
1 – Não converse! Um dos princípios do Pilates se baseia na concentração, o aluno deve manter toda a sua atenção voltada para o exercício que está realizando. Dessa forma, conversar com outro aluno no stúdio ou por telefone durante a aula, por exemplo, acaba dispersando a atenção do praticante e, sem perceber, seu foco não mais estará na execução correta dos exercícios nem no desempenho do próprio corpo.
2 – Não se compare aos demais alunos! De repente, você pode perceber que o seu repertório de exercícios parece mais leve ou mais “fácil” do que o de outro aluno, mesmo possuindo o mesmo tempo de prática (e o inverso também pode ocorrer). É importante que você saiba: cada pessoa tem um ritmo próprio. O profissional acompanhante trabalha com cada aluno de maneira individualizada, indicando exercícios e orientando sobre a execução de acordo com as necessidades de cada um. Você deve respeitar sua condição e suas limitações, assim como o professor que modifica o repertório de exercícios de acordo com sua evolução natural, sem comprometer a sua saúde. A obtenção dos benefícios com a prática também é individual: alguns alunos percebem os efeitos em menos tempo, outros necessitam de um tempo maior. Mas, em geral, o Pilates oferece resultados satisfatórios a todos os públicos.
3 – Não faça nenhum movimento por conta própria! Se o professor indica determinado exercício com específica repetição, o aluno deve obedecer de maneira rigorosa. Lembre-se: o profissional está habilitado para atender de maneira personalizada a cada aluno e após a avaliação detalhada que ele realiza antes de dar início às aulas, o atendimento se torna ainda mais direcionado às necessidades de cada praticante. Algumas pessoas também começam a praticar o método em casa, considerando já entender bem os movimentos quando estes não requerem o uso de aparelhos (o chamado Pilates Solo), mas é importante destacar que a supervisão do profissional é imprescindível, sobretudo para a correção adequada da postura durante os movimentos.
4 – Não leve pensamentos negativos para a aula! Você deve esvaziar sua mente de todas as preocupações do dia a dia, voltando-se inteiramente à aula, ao momento presente e se concentrando na integração que ocorre entre o corpo e a mente durante a execução dos exercícios.
A escolha do espaço também faz toda a diferença…
Nem todo local que oferece Pilates trabalha com o método de forma segura. Por isso, nenhuma pessoa deve se basear, apenas, no valor cobrado pelas aulas. Lembre-se que o barato pode acabar se tornando caro, principalmente para a sua saúde.  Conheça dicas importantes para escolher o estúdio de Pilates certo:
– Fuja de espaços lotados! Cada profissional deve acompanhar a, no máximo, dois alunos simultaneamente. Alguns estúdios acabam oferecendo valores mais “em conta” (na visão do aluno) porque trabalham com muitos alunos ao mesmo tempo. O profissional precisa dividir a atenção entre 3, 7, 10… alunos e isso é muito arriscado. Um dos princípios do Pilates é trabalhar com a postura correta durante a realização de cada exercício, com a atenção dividida entre tantos alunos, o profissional nem sempre poderá corrigir a postura de alguém que esteja executando o movimento de maneira errada. Além disso, cada aluno possui suas próprias necessidades e limitações, por isso a aula deve ser personalizada e o mais individualizada possível, sem um repertório padrão de exercícios.
– Certifique-se da formação dos professores! Não é qualquer pessoa que está apta a ministrar uma aula de Pilates. O profissional deve ter uma formação especializada para isso. Normalmente, educadores físicos e fisioterapeutas são as pessoas mais indicadas para ministrar a aula, embora outros profissionais também o façam. O ideal é que o aluno receba um suporte adequado às suas necessidades, sendo orientado de acordo com os objetivos que pretende alcançar. O profissional habilitado para acompanhar o praticante de Pilates é aquele que oferece exercícios com grande margem de segurança e eficácia ao aluno.
– Não descarte a aula experimental! Nem todos os espaços de Pilates oferecem aula experimental ao futuro aluno. Essa etapa é fundamental para que a pessoa conheça melhor a metodologia utilizada e não deve ser ignorada. Na aula experimental não dá para conhecer todo o trabalho realizado, mas é possível ter um primeiro contato que vai ajudar bastante na escolha do local certo para iniciar a prática.
Se você escolher o lugar certo para a prática do Pilates, os benefícios serão garantidos. O valor cobrado não deve ser o primeiro critério na hora de optar por um espaço, muitos fatores estão envolvidos e sua saúde deve ser sempre a prioridade.

 
aula-experimental
 
 

O diferencial do Instituto Pilates
O Instituto Pilates trabalha auxiliando no pós tratamento de problemas como dor lombar, dor cervical, discopatia degenerativa e até mesmo hérnia de disco, através da conscientização da contração dos músculos que protegem a coluna vertebral evitando, assim, novos episódios de dor nas costas e garantindo uma melhor qualidade de vida.

Os benefícios do Pilates são inúmeros, entretanto é importante que o paciente esteja sempre atento ao profissional que irá acompanhá-lo, se este tem domínio sobre o assunto e se está sempre orientando no que diz respeito à qualidade e execução dos movimentos durante o atendimento, mantendo sempre um cuidado com a coluna do paciente. Por isso, o Instituto Pilates mantém sua qualidade oferecendo profissionais qualificados e bem preparados para receber pacientes oriundos dos diversos tratamentos para a coluna vertebral.

end-studios