OU
Ver todas as unidades

É possível praticar Pilates em casa?

praticar-pilates-em-casaO número de alunos matriculados em estúdios de Pilates cresce, consideravelmente. Praticantes de todas as idades e condicionamento físico vão em busca da técnica que oferece uma grande variedade de benefícios. Entretanto, ainda existe aquele público que, apesar de se sentir atraído pelo Pilates, acaba evitando se matricular nas aulas por considerar o valor muito alto. E fica a pergunta no ar: quero fazer Pilates, mas acho caro nos estúdios, posso praticar em casa? Antes de mais nada, vamos entender se, de fato, o valor cobrado nos estúdios de Pilates é alto.
 

O custo da aula de Pilates em estúdios

 
O valor cobrado pelas aulas de Pilates envolve uma complexa relação de fatores, estando associado, por exemplo, ao alto nível da formação dos profissionais (que, periodicamente, devem passar por um trabalho de reciclagem), ao custo investido em equipamentos de qualidade (cada aparelho de Pilates oferece ampla diversidade de exercícios) e, sobretudo, ao trabalho personalizado no atendimento dos alunos (o que é característico da técnica). Neste último caso, o profissional acompanhante orienta, no máximo, dois alunos simultaneamente, garantindo uma atenção mais individual e precisa aos movimentos que estão sendo executados e tornando a técnica bem mais segura. Ao contrário das aulas de ginásticas em academias, que somam grande número de pessoas numa mesma sala e a atenção do instrutor se torna dividida e, muitas vezes, ineficaz. O custo de uma aula de Pilates é, portanto, proporcional aos benefícios personalizados que ela oferece.
 

O ambiente do estúdio de Pilates

 
Além do valor financeiro, que muitas vezes é considerado elevado pelos pacientes, o que leva algumas pessoas a desacreditarem no método são as condições que alguns estúdios oferecem. De fato, se não forem observados diversos requisitos na hora de escolher o melhor estúdio, o paciente pode se frustrar.
Atente para alguns pontos:
estúdio-pilates-em-casa– Se um mesmo profissional vai acompanhar muitos alunos por vez, ele não conseguirá oferecer uma atenção individual e com foco nas necessidades de cada aluno. Se, de repente, você realiza algum exercício de maneira incorreta pode acabar trazendo malefícios ao seu corpo, já que o profissional estará com a atenção dividida entre os outros praticantes.
– Quando os estúdios de Pilates ficam lotados é natural que o professor oriente todos os alunos de igual modo, montando um mesmo repertório de exercícios para todos. O profissional não consegue atender a cada pessoa de maneira personalizada (como deve ser no Pilates), respeitando o ritmo de cada um e as limitações.
– Com o estúdio cheio de alunos é bem provável que você não consiga alcançar resultados consideráveis com o Pilates. Isso porque o profissional não dedicará atenção especial aos objetivos que você pretende com o método (afinal, ele tem outros alunos para também dedicar atenção), portanto, não irá trabalhar em cima deles.
RESULTADO: O paciente não alcançará todos os benefícios que o método é capaz de proporcionar. Por isso, para garantir resultados satisfatórios com o Pilates também é imprescindível a escolha do ambiente certo.
 

Praticar Pilates em casa é a mesma coisa?

 
Como a maioria dos exercícios de Pilates são bastante simples e muitos deles não precisam de equipamentos para a realização (o chamado Pilates solo que conta com o auxílio de, apenas, alguns acessórios como a bola ou o elástico), muitas pessoas tentam praticar Pilates em casa mesmo. Assistem às aulas em DVDs ou na internet e seguem, à sua maneira, os exercícios. Apesar de ser bastante comum, não é muito aconselhável praticar a técnica sozinho.
Riscos: Primeiro porque somente o profissional capacitado poderá orientar na correta execução dos movimentos, você mesmo não poderá analisar se sua prática não está oferecendo riscos à própria saúde. No estúdio, o orientador fará uma avaliação específica antes de iniciar as aulas. Esse passo inicial ajudará na montagem de um repertório de exercícios personalizado, de acordo com as necessidades e limitações de cada aluno. Além disso, o fato de ser no conforto de casa, sozinho, poderá levar ao desânimo. O ser humano precisa de estímulo, inclusive, de outras pessoas, é mais difícil se auto-estimular. No estúdio, ele terá contato com outros alunos e com o próprio professor que o ajudará gradativamente, avaliando seus progressos e capacidade de superação.
Entretanto, se ainda assim o paciente opta por praticar Pilates em casa por uma série de fatores, que pode incluir tempo reduzido ou dificuldades financeiras, é importante consultar um médico antes para identificar algum problema de saúde ou se outros fatores podem oferecer riscos à prática do método em casa (lembre-se que em casa você não terá a supervisão de um especialista).
Se você:
– Foi submetido a alguma cirurgia séria na coluna;
– Faz uso de algum medicamento que traz efeitos colaterais;
– Tem histórico de lesão grave;
– Sofre com labirintite séria;
– Está gestante;
– Apresenta diagnóstico de hérnia de disco, osteoporose ou doenças de origem inflamatória (afetando músculos e articulações);
– Já tem idade bastante avançada,
Não pratique o método sem receber antes orientações médicas. Não que o método seja contra-indicado nestes casos, mas se você vai praticar Pilates em casa, será necessária uma atenção redobrada.
 

Cuidados durante a prática de Pilates em casa

 
pilates-em-casaProcure ter algum acessório, como faixas elásticas e um colchonete apropriado para a prática. Você pode encontrá-los em lojas de materiais esportivos, fisioterapêuticos ou mesmo na internet. Procure um espaço agradável (não precisa ser muito grande, apenas que permita movimentos livres de braços e pernas durante os exercícios) e horário oportuno, no qual você possa ficar relaxado sem ruídos que comprometam a qualidade do momento.
Você vai providenciar água. Lembre-se que, independentemente da atividade física, a hidratação é indispensável. Faça um aquecimento antes (pode ser com caminhada) e se alongue. E, atenção! Nada de colocar fones nos ouvidos ou manter o celular próximo enquanto realiza os exercícios. Você deve se desligar de qualquer coisa que possa prejudicar sua atenção total aos movimentos.
Agora vamos para a quantidade ideal de sessões por semana. Como iniciante, você não precisa se dedicar todos os dias à prática, pode seguir uma programação de 3 sessões por semana com 30 minutos de duração cada uma. Cada série de exercícios que fazemos no Pilates, dura, em média, de 10 a 15 minutos. Então, dentro desse tempo você conseguirá realizar de 2 a 3 séries por dia, trabalhando diferentes grupos musculares a cada sessão. Com 3 ou 4 semanas de prática do método em casa, você já pode perceber o início dos benefícios do Pilates para o seu corpo e mente.
Normalmente, a primeira mudança que o paciente percebe é com relação à postura. Ele nota que a busca por hábitos posturais corretos começa a se tornar natural. Aliás, este é um ponto bastante trabalhado em todos os exercícios de Pilates: a boa postura é fundamental na execução de quaisquer movimentos. Ombros, joelhos, quadril, braços… devem estar devidamente posicionados e alinhados. No início é sempre difícil atender a essa proposta de postura correta, mas ao ser trabalhada ao longo das sessões, o paciente logo perceberá grandes diferenças.
 

5 Dicas de exercícios de Pilates em casa

 
– Abdominal
Objetivo: Fortalecimento dos músculos do abdômen, das costas e dos glúteos.
Exercício: Deite-se com o corpo estendido. As pernas devem ficar elevadas, se possível utiliza uma bola de Pilates para isso, e os braços acima da cabeça. Inspire, elevando os braços, mãos, ombros e cabeça lentamente até você conseguir elevar todo o tronco e se sentar. Depois retorne para a posição inicial. Podem ser realizadas 8 repetições do exercício.
– Elevação de quadril
Objetivo: Fortalecimento dos glúteos, do músculo da lombar, do músculo do abdômen e do músculo posterior da coxa.
Exercício: Deite-se, mantendo os joelhos flexionados e os pés apoiados no chão. Você vai elevar o cóccix, a lombar e os ombros lentamente e levantar uma das pernas em direção ao teto. Depois retorne para a posição inicial. Podem ser realizadas 8 elevações com cada perna (alternadamente).
– Perdigueiro
Objetivo: Fortalecimento dos músculos paravertebrais e dos músculos do abdômen.
Exercício: Sua posição inicial deve ser “a de cachorrinho”, com a coluna bem alinhada. Em um movimento sincronizado, você vai inspirar e elevar a mão direita, estendendo a perna esquerda ao mesmo tempo. Faça o movimento em 12 repetições e depois troque os membros (mão esquerda e perna direita). São 12 repetições em cada lado em 3 séries.
– Flexão de braço
Objetivo: Fortalecimento dos músculos do peitoral e tríceps.
Exercício: Para esse exercício, você também vai ficar na posição de cachorrinho. Tire os pés do chão, cruzando-os e faça flexões com os braços abertos, formando um ângulo de 90º graus com o seu corpo. A seguir, realize as flexões com os braços fechados, eles devem ficar o mais próximo possível do seu corpo. Podem ser realizadas 8-12 repetições de flexões com os braços abertos e 8-12 repetições com os braços fechados.
– Prancha lateral
Objetivo: Fortalecimento da parte interna da coxa.
Exercício: Deite-se de lado sobre o braço estendido. Você vai contrair o seu abdômen e a costela até deixar um pequeno espaço entre o quadril e o chão. Contraia também os glúteos e a pelve, mantendo as pernas bem estendidas (uma em cima da outra). O cotovelo de apoio deve ser mantido estabilizado para que o ombro não afunde. Podem ser realizadas 8-12 elevações com cada perna.
Leia também:
Os riscos de praticar Pilates em qualquer lugar
Parece simples, mas não é!
O trabalho realizado pelo Instituto Pilates
Assista ao nosso vídeo institucional e agende uma aula experimental:

aula-experimental-pilates