OU
Ver todas as unidades

Pilates e Instabilidade da Coluna Vertebral Lombar

Pilates-coluna-lombarSegundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) 80% da população sofreu ou irá sofrer de dor na coluna. Sabe-se que existem diversas patologias que podem levar a essas dores e uma delas é a instabilidade vertebral.  Se você:
– Possui frouxidão ligamentar;
– Apresenta uma flexibilidade excessiva;
– Tem uma coluna que “estala” constantemente com pequenos movimentos;
– Não pratica atividade física…
Você é um grande candidato a apresentar essa disfunção.
Panjabi (1992) afirma que para um controle apropriado da estabilidade vertebral é necessário que os sistemas neural, articular e muscular funcionem bem e de forma integrada. Portanto, quando há um dano em um deles, os outros dois tentam compensar. Contudo o prejuízo pode ser grande demais e esta reorganização não ser possível, levando à disfunção de instabilidade vertebral, que é definida por Grobler e Wiltse (1991) como uma perda da rigidez do segmento espinhal quando uma força aplicada produz deslocamento de parte desse segmento, excedendo magnitudes encontradas em uma coluna normal.
Na região lombar existem alguns músculos que são responsáveis por manter esta estabilidade. Bergmark (1989) os dividiu em dois grupos, o grupo dos músculos locais, ligados diretamente às vértebras, mais profundos, responsáveis pela estabilidade e controle segmentar e extremamente resistentes à fadiga, são eles: o multífido lombar, o transverso abdominal e as fibras posteriores do oblíquo interno; e o grupo dos músculos globais, grandes músculos produtores de torque que atuam no tronco e na coluna sem serem diretamente ligados a ela, são eles: o reto abdominal, o oblíquo externo e a parte torácica do iliocostal lombar. Quando um indivíduo apresenta dor na lombar, a função desta musculatura é prejudicada.
Estes músculos compõem a região descrita no método Pilates como “powerhouse” – casa de força. Um dos princípios da técnica é de que esta região deve ser constantemente fortalecida e exigida. Uma das formas de iniciar o trabalho desta musculatura é com os exercícios de estabilização segmentar descritos por Richardson, Hodges e Hides (2011), que podem ser realizados dentro do stúdio de Pilates, aliados aos exercícios do método. Durante toda a aula a contração desta musculatura é exigida, bem como no dia-a-dia do indivíduo.
O treinamento específico da musculatura estabilizadora lombopélvica é importante na prevenção de dores lombares, no tratamento de quem tem instabilidade e no pós-tratamento de qualquer disfunção da coluna. Um bom trabalho realizado com o método Pilates favorece o fortalecimento desta musculatura, proporcionando mais qualidade de vida para seus praticantes.
 
Texto produzido pelas fisioterapeutas: Priscila Lourinho, Larissa Porto e Macelle Gomes.
 

 
aula-experimental
 
 

O diferencial do Instituto Pilates
O Instituto Pilates trabalha auxiliando no pós tratamento de problemas como dor lombar, dor cervical, discopatia degenerativa e até mesmo hérnia de disco, através da conscientização da contração dos músculos que protegem a coluna vertebral evitando, assim, novos episódios de dor nas costas e garantindo uma melhor qualidade de vida.

Os benefícios do Pilates são inúmeros, entretanto é importante que o paciente esteja sempre atento ao profissional que irá acompanhá-lo, se este tem domínio sobre o assunto e se está sempre orientando no que diz respeito à qualidade e execução dos movimentos durante o atendimento, mantendo sempre um cuidado com a coluna do paciente. Por isso, o Instituto Pilates mantém sua qualidade oferecendo profissionais qualificados e bem preparados para receber pacientes oriundos dos diversos tratamentos para a coluna vertebral.

end-studios