OU
Ver todas as unidades

Os Desconfortos na Gestação

desconfotos-na-gestacaoDurante a gravidez, o corpo da mulher passa por diversas mudanças. Elas são inteiramente normais, pois o corpo começa a se adaptar à nova realidade. Mas além das mudanças, os nove meses de gestação também vêm, normalmente, acompanhados por alguns desconfortos, como dores em diferentes partes do corpo. É comum a ocorrência de dores hormonais (também acompanhadas por cólicas) ou em decorrência da expansão do útero na fase inicial da gravidez, por exemplo. Outra fase da gestação que também causa muitos desconfortos é quando os músculos se afrouxam e os órgãos começam a se deslocar dentro do corpo (para dar mais espaço ao útero que está expandido e ao próprio bebê).
Dor nas pernas: é bastante comum sentir dores nas pernas durante a gestação. Com o crescimento da barriga, o aumento do peso acaba sobrecarregando o sistema cardiovascular, com isso, as pernas podem ficar inchadas, além de doloridas.
Dores nas costas: em virtude do aumento abdominal, o peso da mulher é deslocado para frente, alterando o seu centro de gravidade e aumentando, consequentemente, a curvatura fisiológica da coluna, o que tende a gerar dores nas costas.

Insônia:
alterações hormonais, bem típicas do período gestacional, podem ser responsáveis pela insônia, assim como outros fatores que também podem estar envolvidos. O próprio desconforto que surge conforme a barriga vai crescendo acaba dificultando o sono da grávida, assim como problemas emocionais nessa fase, como o estresse e a ansiedade.
Sonolência: durante a gravidez, existe um excesso de hormônios circulando pelo corpo. Com isso e o metabolismo também mais lento, a grávida pode sentir bastante sono. Portanto, a mulher pode sofrer tanto com a falta como com o excesso de sono. Vai depender de cada condição particular.
Dor de cabeça: a dor de cabeça é muito frequente durante a gestação e pode ser causada por situações de estresse e por cansaço, principalmente. Outras questões também podem estar relacionadas. Quando a dor de cabeça é motivada por alterações hormonais é mais comum seu desaparecimento quando os hormônios se estabilizam. Em alguns casos mais graves, a dor pode indicar uma pré-eclâmpsia. Nesse caso, a dor de cabeça é constante, indicando pressão alta da gravida e pode ser acompanhada por dores no estômago e visão “embaçada”.
Indisposição: o corpo inteiro fica sobrecarregado durante a gravidez. Com isso, é comum às mulheres a sensação de profunda exaustão no período. Essa condição pode acabar trazendo alguns desânimos no dia a dia, como nas tarefas rotineiras do trabalho. Mas, normalmente, a indisposição melhora no segundo trimestre da gestação.

Veja também

Pilates para gestantes

Benefícios do Pilates durante a gestação

 
desconfotos-na-gestacao– Fortalece a região do assoalho pélvico, evitando, inclusive, problemas de incontinência urinária;
– Aumenta a resistência e a flexibilidade muscular, ajudando a gestante no suporte do aumento natural do peso do corpo;
– Auxilia na prevenção de dores lombares, através do fortalecimento dos músculos de sustentação da coluna vertebral;
– Alivia o corpo e a mente de tensões, especialmente através do trabalho com a respiração;
– Melhora a disposição, oferecendo mais energia ao corpo;
– Libera o hormônio do relaxamento (endorfina) para o bebê através da placenta, garantindo bem estar ao mesmo;
– Melhora a circulação sanguínea;
– Proporciona mais harmonia entre mãe e filho, em virtude do ambiente climatizado e do som agradável do estúdio de Pilates.
Após o nascimento do bebê, a mulher que praticou Pilates durante a gestação terá uma recuperação mais rápida. A volta às atividades, inclusive do Pilates, varia conforme cada caso e dependerá da forma do parto: normal ou cesária. Neste período do pós-parto, retorne ao Pilates gradualmente, respeite o seu corpo, tenha uma alimentação saudável e faça uma atividade cárdio-vascular.
 
Você também vai gostar de ler:
Pilates ajuda a preparar o corpo para a gravidez
Pilates para uma gravidez saudável
O Pilates no pós-parto