OU
Ver todas as unidades

Condromalácia patelar: tratamento com o Pilates

condromalacia-patelar-tratamento-pilatesEssa patologia é também conhecida como síndrome da dor patelo-femural ou, simplesmente, “joelho de corredor”. Normalmente, pessoas acometidas pela condromalácia patelar sentem dor nos joelhos ao correr com a sensação, inclusive, de “agulhadas”.

Como surge a condromalácia patelar?

A patela se trata de um osso com formato triangular que fica localizado na frente do joelho. E tem como funções a melhora do movimento de flexo-extensão, além de proteger estruturas internas.
Quando flexionamos o joelho, a patela se encontra, inicialmente, “flutuante” na articulação e começa a se encaixar na tróclea do fêmur, mas conforme a flexão aumenta, o contato ósseo acaba aumentando e a pressão incidente nas facetas articulares cresce, proporcionalmente. Isso acarreta uma perda de líquido da patela e a pessoa acaba tendo um choque ósseo. Esse tipo de alteração nas forças que atuam sobre a patela bem como no formato ósseo, pode resultar no aparecimento de lesões na cartilagem.
Não há uma causa exata para o surgimento dessa patologia, contudo, o traumatismo pode ser considerado o fator mais comum. Consiste em traumas únicos como pancadas ou outros mais crônicos que ocorrem por fricções entre a patela e o sulco patelar do fêmur.

Principais sintomas

De maneira geral, o efeito que a condromalácia patelar mais gera no paciente é a dor atrás da patela que tende a piorar quando são realizados maiores esforços, como subir ou descer escadas, durante uma corrida ou longos percursos de pedaladas. Mas outros sintomas também podem surgir, como é o caso do inchaço por baixo da rótula do joelho.

Tratamento

Antes de iniciar qualquer forma de tratamento é importante avaliar o grau da lesão adquirida para se certificar sobre o quadro do paciente. Em alguns casos, poderá ser indicada a perda de peso, de modo a reduzir o estresse causado sobre a articulação patelo-femural.
O Pilates é uma técnica que oferece exercícios específicos que ajudam a tratar o alinhamento patelar e a estabilização do quadro da condromalácia. A partir de uma avaliação adequada do paciente, o profissional acompanhante poderá montar um repertório de exercícios destinados ao fortalecimento do quadríceps e alongamento dos isquiotibiais (cujo encurtamento provoca aumento do atrito da patela com fêmur). Entretanto, nenhum movimento executado promove sobrecarga na articulação patelo-femural, todo o tratamento com o Pilates é realizado de maneira personalizada, adaptando-se às necessidades e limitações de cada indivíduo.

Algumas recomendações

– Durante o tratamento é muito importante não sobrecarregar o joelho, fazendo-o descansar para evitar os inchaços e prevenir o retorno do problema;
– Para quem se exercita fisicamente é indispensável o investimento anterior em exercícios de alongamento e o investimento posterior em exercícios de descompressão;
– Para corridas, usar tênis com um bom amortecimento;
– Evitar saltos. Seu uso poderá agravar uma condromalácia;
– Com relação ao retorno aos esportes, são recomendados treinos iniciais com intensidade leve.
Mas a correta movimentação não é referente, apenas, ao joelho. Seja em atividades domésticas do dia-a-dia, no trabalho, no lazer ou no esporte, o corpo todo deve se movimentar de forma coesa.
Assista ao nosso vídeo institucional e agende uma aula experimental:

aula-experimental-pilates