OU
Ver todas as unidades

Stott Pilates

Stott-PilatesO Pilates ganhou espaço considerável nos últimos anos. A modalidade que antes era conhecida por um público mais restrito, hoje já possui adeptos dos mais diferentes tipos de públicos.

São muitos os benefícios oferecidos, tanto para o corpo como para a mente do paciente. Por isso, costuma-se considerar o Pilates como um método de exercícios completo. Além disso, o Pilates apresenta um grande e diversificado repertório de movimentos, são exercícios que podem ser realizados em aparelhos, com acessórios ou simplesmente no solo, utilizando apenas o peso do próprio corpo. Isso torna o método bastante dinâmico.

 

O Pilates original

O método Pilates foi idealizado por Joseph Hubertus Pilates, no início da década de 1920. Seu programa envolve condicionamento físico e mental e tem como objetivo melhorar o equilíbrio entre a performance e esforço, através da integração do movimento, a partir do centro estável e sinestesia realçada. O Pilates trabalha o corpo como um todo – corrige a postura e realinha a musculatura, desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável e longeva.

O método Pilates tem como base um conceito denominado de contrologia. Segundo Pilates, contrologia é o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo. É a correta utilização e aplicação dos mais importantes princípios das forças que atuam em cada um dos ossos do esqueleto, com o completo conhecimento dos mecanismos funcionais do corpo e o total entendimento dos princípios de equilíbrio e gravidade aplicados a cada movimento. Para atingir os benefícios do Pilates e ter uma melhor eficácia na série de atividades, essa técnica do Pilates utiliza seis princípios: concentração, respiração, alinhamento, controle de centro, eficiência e fluência de movimento.

 

Conheça os princípios do Pilates:

– Respiração: é ela que favorece a organização do tronco, a estabilização da região lombo-pélvica e o relaxamento da musculatura inspiratória acessória dos ombros e do pescoço.

– Concentração: provoca a transformação do pensamento em movimento, dando-se importância a todas as partes do corpo para que os movimentos sejam realizados com eficiência. Durante a aula, o praticante deve estar com o pensamento ali e não “passeando” por outros lugares.

– Controle: está intimamente ligado à concentração e se refere ao aprendizado motor dos movimentos.

– Fluidez: somada à leveza evita o desperdício de energia, permitindo a utilização, apenas, da energia necessária à realização daqueles movimentos.

– Centro: o chamado “POWER HOUSE”, ou centro de força. Um conjunto de músculos responsáveis pela sustentação da coluna e dos órgãos internos. Uma vez fortalecida, essa musculatura proporciona a estabilização do tronco e um alinhamento biomecânico com menor gasto energético.

– Precisão: melhora o controle e o equilíbrio dos diferentes músculos envolvidos num determinado movimento, sem que haja gastos energéticos desnecessários, provocados por contrações inadequadas.

Para tanto, Joseph Pilates juntou os melhores aspectos das disciplinas dos exercícios orientais e ocidentais, e é o equilíbrio desses dois mundos. Do Oriente, Pilates trouxe as filosofias de contemplação, relaxamento e a ligação entre corpo e mente. Do Ocidente, trouxe a ênfase no enrijecimento muscular e a força, a resistência e a intensidade de movimento. Essa mistura resultou no método Pilates, que hoje traz diversos benefícios para pessoas de todas as idades.

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES

Stott-Pilates

Como resultado do método Pilates, destacam-se benefícios relacionados à compreensão do próprio corpo, como aumento de força, maior controle muscular, integração corpo e mente, melhora da capacidade respiratória, aumento da flexibilidade, fortalecimento, correção da postura, reestruturação do corpo, prevenção de lesões, aumento da consciência corporal, aumento da autoestima e alívio de dores musculares.

Um dos princípios fundamentais do método Pilates é que a “casa de força” (Powerhouse, área abdominal localizada

entre as costelas superiores e a pélvis, que envolve os músculos profundos da coluna e os centros de força do corpo) é o centro de todo movimento: quanto mais forte a casa de força, mais poderoso e eficiente é o movimento. Portanto, antes de cada exercício de Pilates, um centro é recrutado, empurrando delicadamente o umbigo e contraindo os músculos profundos do abdômen. O objetivo é manter o centro corporal estável enquanto os movimentos de braços e pernas são executados com precisão.

Os três músculos abdominais (o reto abdominal, os oblíquos externos e internos e o transverso abdominal) trabalham com os músculos da coluna para formar o centro de força. Os praticantes do método Pilates também incluem o assoalho pélvico (músculos utilizados para controlar o fluxo da urina e impurezas sólidas do corpo, localizados na parte de baixo da pélvis) na “casa de força”. Fortalecer estes músculos nas pessoas idosas é importante, pois neste período a incontinência urinária e fecal é muito frequente.

ALGUMAS PERGUNTAS SOBRE O MÉTODO PILATES:

O método Pilates melhora a postura e dores no corpo?

Um dos objetivos mais importantes do método Pilates é o realinhamento postural. Os exercícios, somados ao ganho de força e flexibilidade adquiridas com a prática, implicam diretamente na aquisição de uma boa postura. Muitas vezes as dores no corpo são consequência da postura (falta de flexibilidade ou força) e melhoram e até desaparecem com a prática de Pilates.

Quem dá as aulas de Pilates?

No início, as aulas de Pilates eram ministradas por bailarinos que tinham aulas com o “pai” do Pilates, Joseph Pilates, para tratar de lesões causadas pela profissão. Devido à consciência corporal, os bailarinos transmitiam o método com grande beleza e fluidez que o método exige. No Brasil, o método foi adotado por fisioterapeutas e profissionais de educação física, pois o Pilates começou a ser dado em academias onde é exigido um dos dois profissionais. Em paralelo, esses profissionais têm conhecimento e capacitação para passar corretamente os exercícios.

O método Pilates emagrece?

Por ser uma atividade física, o Pilates proporciona perda calórica. Porém, não é esse o seu principal objetivo. O Pilates deve ser praticado por quem busca uma vida saudável, com boa postura, músculos flexíveis, corpo bem definido, melhorar a circulação sanguínea, melhorar a respiração, etc.

Qual a diferença entre Pilates e musculação

O Pilates, ao contrário da musculação, não trabalha com pesos. As resistências são feitas com molas ou o peso do próprio corpo. Outra diferença é que na musculação os movimentos e os exercícios são mais rápidos que o do Pilates, que, por outro lado, trabalha com poucas repetições, várias séries do mesmo exercício e mais controle dos movimentos. Por isso se ganha tonificação muscular com o Pilates, mas sem grandes hipertrofias como acontece na musculação.

Tenho hérnia de disco, posso fazer pilates?

Sim, é possível fazer aulas de Pilates tendo hérnia de disco. O Pilates é um método onde além de se preocupar o tempo todo com a postura correta você deve passar por uma avaliação onde serão descritos exercícios contra indicados e exercícios onde devem ser incluídos na aula para melhora da patologia e dor, a aula de Pilates pode ser adaptada para as limitações de cada indivíduo.

 

O que é Stott Pilates?

Stott-PilatesO Stott Pilates é baseado nos princípios básicos do método clássico de Joseph Pilates, mas também integra outros princípios mais modernos. Por isso, Stott Pilates nada mais é do que uma abordagem mais contemporânea do Pilates original. Nessa modalidade, os exercícios trazem informações sobre reabilitação e melhora do desempenho atlético.

A posição neutra e o Imprint

O método Stott Pilates possui dois tipos de posicionamento na pelve, a saber:

– Posição neutra

Nessa condição não há tensão nos músculos extensores lombares, com uma curvatura normal na coluna lombar.

– Imprint

Trata-se de uma leve inclinação posterior da pelve e a flexão também leve da lombar (que diminui a sua curvatura e não a completa retificação). O movimento é facilitado pela ação dos oblíquos.

A melhor posição da pelve para a realização dos exercícios é a neutra, pois garante a melhor absorção de choque e melhor postura. Mas, dificilmente, o paciente inicia as sessões de Pilates com essa posição. No começo é mais comum que ele inicie, portanto, com a posição Imprint e, aos poucos, de acordo com o avanço, progride para a posição neutra. Mas a mudança deve acontecer naturalmente e não forçada.