OU
Ver todas as unidades

Protrusão discal: dos sintomas ao tratamento

Você já ouviu falar em protrusão discal? Muito confundida com hérnia de disco, esta condição tem a sua própria definição, sintomas, causas e tratamento. Vamos conhecer um pouco mais sobre ela? Confira no artigo de hoje.

O que é protrusão discal?

Antes de falarmos sobre o que é a protrusão discal, é importante entender um pouco mais sobre a estrutura da coluna vertebral.

O disco intervertebral é uma estrutura presente entre as vértebras, que tem como finalidade amenizar os impactos dos movimentos na coluna. Estes discos são envolvidos por anéis fibrosos e possuem um núcleo líquido.

A protrusão discal é uma distensão do anel fibroso que envolve os discos intervertebrais. Esta distensão ocorre sem o rompimento do anel fibroso. O que acontece é que o núcleo discal “empurra” o anel, causando o seu desgaste e dilatação e fazendo com que os ligamentos e outras estruturas localizadas ao redor do disco sejam atingidos e motivam a dor na região.

Sintomas da protrusão discal

Todas as doenças têm os seus próprios sinais para avisar ao corpo que há algo errado, não é mesmo? Conheça agora os principais sintomas da protrusão discal.

  • Dor na região da coluna cervical ou vertebral lombar, que é aumentada durante a tosse e espirro;
  • Perda de força muscular e dor que se irradia para as pernas;
  • Dor local crônica no pescoço e nas costas;
  • Dor, dormência e formigamento nas extremidade;
  • Perda de flexibilidade e mobilidade;
  • Rigidez ou dor na área da coluna cervical ou vertebral lombar;
  • Extensão dos sinais para ombros, braços e dedos, isso acontece quando a raiz de um dos nervos é comprimida.

Onde ocorre a dor?

Sintomas específicos causados por uma protuberância do disco vão depender da localização do problema, assim como a sua extensão. As duas regiões mais comuns da degeneração do disco são a coluna cervical (no pescoço) e na coluna vertebral lombar (na parte inferior das costas). Isso acontece porque estas duas áreas são altamente flexíveis e apoiam boa parte do peso corporal.

Se a região comprimida for a da medula espinhal, o paciente pode sentir os braços e pernas mais pesados, tendo dificuldade para caminhar e perdendo parte das habilidades motoras finas nas mãos.

Agora, se a compressão acontece em uma raiz nervosa lombar ou no nervo ciático, pode causar dor lombar, assim como dormência, formigamento e fraqueza muscular nas pernas, pés e glúteos.

Se você sentir um ou mais dos sintomas descritos, é o momento de procurar uma ajuda médica para entender qual é a localização do problema e a melhor forma de tratamento.

Causas da protrusão discal

Assim como acontece em outros problemas na coluna vertebral, são várias as causas para a protrusão discal. Sofrer exposição à vibração por um longo período de tempo combinado com levantamento de peso é um dos maiores fatores de risco para a doença. Entre as outras principais causas da protrusão discal, estão:

  • Trabalho físico pesado;
  • Postura de trabalho estática;
  • Ato de inclinar e girar o tronco frequentemente;
  • Levantar, empurrar e puxar pesos frequentemente;
  • Trabalho repetitivo;
  • Alta exposição à vibrações;
  • Trabalhar dirigindo;
  • Má postura;
  • Questões psicológicas e psicossociais.

Existe um grupo de risco para a protrusão discal?

Na verdade, existem pessoas mais suscetíveis a sofrerem com a condição, sendo que o principal grupo são os trabalhadores braçais. Isto se deve a sobrecarga com que eles trabalham, além dos movimentos repetitivos realizados diariamente (especialmente quando eles são de inclinação e giro do corpo). Vale lembrar que isso não significa que pessoas que trabalham em escritórios também não possam apresentar a doença.

Como prevenir a protrusão discal?

Apesar de não existir uma forma eficiente de se prevenir contra a protrusão discal, existem algumas atitudes que você pode tomar para reduzir as chances de ter a condição, como:

  • Não exagerar em atividades que demandam levantamento de pesos excessivos. Caso isso faça parte da sua profissão, não esqueça de pegar os objetos com a postura correta;
  • Tenha uma boa postura em todos os movimentos do seu dia a dia, mesmo sentado e na hora de dormir;
  • Ao praticar exercícios físicos que demandam esforço excessivo, como a musculação, tenha sempre o acompanhamento de um profissional, seja ele um personal trainer, fisioterapeuta ou médico de confiança;
  • Se sentir dor na lombar ou cervical por mais de duas semanas e que não melhoram com o repouso e medicamentos simples, procure um médico ortopedista.

Diagnóstico da protrusão discal

O diagnóstico da protrusão discal pode ser feito clinicamente por um médico, levando em conta apenas as características dos sintomas e exame físico. Em alguns casos, o profissional solicita outros exames, como raio-x, tomografia e ressonância magnética para ajudar a determinar o tamanho da lesão e em qual região da coluna está localizada.

Os estágios de uma protrusão discal

Para definir qual o melhor tratamento para a condição, o médico precisa entender qual é o estágio da protrusão discal de seu paciente.

  1. Primeira etapa: é a do enfraquecimento natural, quando o núcleo do disco começa a ser empurrado para a coluna vertebral. Saliências de disco podem envolver 180 graus ou menos da circunferência do disco.
  2. Segunda etapa: é a da deterioração do disco. Normalmente, é neste estágio que acontece a hérnia de disco. Aqui, as saliências do disco podem envolver mais de 180 graus da circunferência do disco.
  3. Terceira fase: pode ser um disco herniado, que é quando a parede exterior do disco realmente se rompe, permitindo que o material do núcleo escape pela parede exterior.

Apesar de gerar um pouco de confusão, tenha em mente que nem sempre uma protrusão discal leva a uma hérnia ou ruptura na parede de disco.

Diferenças entre protrusão discal e hérnia de disco

Já repetimos algumas vezes no texto que apesar de parecidas, a protusão discal e a hérnia de disco não são a mesma coisa. Mas afinal, quais são as diferenças entre estas duas condições? Vamos conhecer agora.

A hérnia de disco, nada mais é do que um disco vertebral que sofreu ruptura ou fissura de seu anel externo e teve o extravasamento do conteúdo de seu núcleo pulposo por meio desta lesão. Normalmente, é um processo bastante dolorido.

Já a protrusão discal (também pode ser chamada de abaulamento do disco), pode até causar uma ruptura nas fibras externas, mas não há o extravasamento de seu núcleo pulposo.

Apesar de serem diferentes, as duas lesões são bastante parecidas em suas manifestações clínicas, tratamento e prognóstico. Ambas as situações podem ou não comprimir nervos na região da coluna e causar dores que irradiam para os membros inferiores.

Mesmo que o tratamento entre a protrusão discal e a hérnia de disco sejam semelhantes, o prognóstico destas duas condições dependem também do grau de hidratação do disco, se há degeneração, se há um bom alinhamento da coluna vertebral e existe uma instabilidade no segmento.

Tratamento da protrusão discal

Existem algumas formas de tratar a protrusão discal. Quem decide qual é a mais adequada para o estágio da condição e a sua localização é o profissional que a diagnosticou. Porém, existem alguns métodos que são de praxe dos profissionais, conheça agora os principais:

Tratamento da primeira crise

Os principais sinais que aparecem durante a crise inicial geralmente se estabelecem ao longo de seis semanas. Durante este período, os médicos procuram reduzir a irritação e o incômodo. Para isso, eles receitam alguns medicamentos anti-inflamatórios (esteróides ou não, como ibuprofeno e diclofenaco) e a prática de fisioterapia e pilates para o equilíbrio muscular, correção de postura e manutenção da mobilidade.

Tratamento para crises recorrentes

Quando as crises acontecem repetidas vezes, o profissional pode receitar um tipo de tratamento mais radical, que podem ser agrupados em três percursos: terapia conservadora, cirurgia de abertura convencional e a cirurgia endoscópica minimamente invasiva da espinha.

A terapia conservadora consiste em fisioterapia de equilíbrio muscular, injeção para dor, terapia cognitiva comportamental e um estilo de vida mais restrito.

Importante ressaltar que apesar de ser minimamente invasiva, a cirurgia traz um risco maior do que a terapia conservadora e como a mesma, não pode garantir sucesso. Porém, não fique preocupado, pois  normalmente esta é a última opção praticada pelos médicos.

Além dos medicamentos anti-inflamatórios para o alívio da dor, o tratamento também conta com outros métodos. Entre os principais, temos:

RMA (Reconstrução Músculo-Articular) da Coluna Vertebral

O RMA é um método não cirúrgico para o tratamento de lesões da coluna. Este programa fisioterapêutico utiliza algumas técnicas, como fisioterapia manual, mesa de tração eletrônica, mesa de descompressão dinâmica e estabilização vertebral.

A terapia procura melhorar o grau de mobilidade músculo-articular, diminuir a compressão no complexo disco vertebrais, fortalecer os músculos profundos e posturais da coluna vertebral, ou seja, tudo aquilo que precisa para diminuir o incômodo causado pela protrusão discal.

Terapia Manual Ortopédica

Este método trabalha com terapias manuais, em que o fisioterapeuta executa movimentos nas vértebras em diferentes níveis de amplitude e forças. Eles podem ser desde suaves mobilizações nas articulações até movimentos rápidos buscando o efeito de cavitação articular e provocando estalos.

Musculação

Após o término das sessões na fisioterapia, é recomendado que o paciente busque alguma alternativa para manter os benefícios decorrentes do tratamento e uma boa opção é a musculação. Este exercício estimula frequentemente, e de maneira gradual, as estruturas músculo-esqueléticas, prevenindo assim novas crises.

É fundamental que você faça a atividade física com o suporte e supervisão de um profissional de educação física, que deve criar um treino que relacione a potência aeróbica, força e flexibilidade, sempre respeitando os limites do seu corpo.

Pilates

Outra boa opção de atividade física que dá continuidade aos benefícios da fisioterapia é o pilates. Este método trabalha o corpo de forma global e uniforme, desenvolvendo o condicionamento físico e mental. Por meio de exercícios solos e em aparelhos, o paciente trabalha a concentração, fluidez, controle, postura, respiração, centro de força, consciência corporal, flexibilidade, equilíbrio e força muscular.

Assim como na musculação, é necessário que o seu treino de pilates conte com o suporte de um profissional competente. Por isso, o Instituto Pilates realiza uma avaliação física completa antes da prática começar. Desta forma, o professor consegue entender os objetivos do aluno, assim como as suas limitações físicas, ou seja, o treino criado é totalmente personalizado e supervisionado.

Qual o tempo de tratamento da protrusão discal?

A duração de um tratamento da protrusão discal depende da sua gravidade e estágio. Quem sofre com uma condição mais grave, por exemplo, só vai sentir o alívio das dores após várias sessões.Quanto menor o tamanho da protrusão discal, menos as raízes dos nervos são pinçadas e menos sinais o paciente sente.

Tanto o incômodo quanto o formigamento diminuem progressivamente durante a terapia, resultando também na redução do tamanho da protrusão discal. Porém, apesar do alívio imediato das dores, o tratamento pode demorar alguns meses, até como forma de prevenção de novas crises.

Alívio da dor é sinal de cura?

É comum que a dor da protrusão discal diminua por um tempo e até mesmo desapareça. Mas será que isso significa que você está curado?

Quando temos uma lesão no disco, o corpo automaticamente cria uma reação inflamatória no local. Esta reação aumenta a dor no lugar e a compressão pelo edema. Após um tempo, a inflamação melhora e os sintomas que antes incomodavam, agora desaparecem. Contudo, isso não significa a cura da protrusão discal. A lesão mecânica continua no mesmo local, o que melhora é a dor e inflamação.

O corpo manda sinais ao paciente quando há algo errado e ele precisa buscar uma solução. Se ele não se cuidar logo no primeiro sintoma que aparece, a dor volta mais forte e frequente, até o momento em que a pessoa não aguenta mais sofrer com o incômodo e procura por um especialista. Esta demora faz com que a lesão fique mais avançada, o tratamento seja mais difícil e o prognóstico pior.

Você já tinha ouvido falar em protrusão discal? Conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto? Apesar de poder ser confundida com a hérnia de disco, esta condição apresenta os seus próprios sintomas, causas e tratamento.

Se você procura uma forma de cuidar da sua coluna vertebral, sem se preocupar em sofrer com excessos, procure o Instituto Pilates mais perto de você. Os profissionais capacitados da escola estão preparados para lidar com as suas limitações e objetivos. Venha nos conhecer.