OU
Ver todas as unidades

Os benefícios do Pilates para a coluna

É difícil acreditar, hoje, que alguém não saiba, ou pelo menos nunca tenha ouvido falar, em Pilates. O Pilates está em voga ultimamente, principalmente por todos os benefícios que traz. Mas será que todo mundo sabe realmente o que é o Pilates e como ele é capaz de ajudar as pessoas?

Quem faz Pilates sabe, é claro. Mas talvez não saiba tudo! E quem nunca fez uma sessão, pode não conhecer as aplicações desse tipo de exercício. Foi pra isso que criamos esse texto, para explicar o que é o Pilates, e, principalmente, quais os seus benefícios para a coluna.

O que é o Pilates?

O Pilates é uma metodologia de exercícios focada principalmente nos músculos posturais, responsáveis pelo equilíbrio, pela manutenção das cargas do corpo, e pela estabilidade da coluna.

Ele trabalha com exercícios que focam na propriocepção, no autoconhecimento e no trabalho consciente do alinhamento da coluna, além de exercícios de fortalecimento para essa musculatura. Dessa forma, o Pilates é um excelente aliado tanto para a prevenção quanto para o tratamento de diversas disfunções da coluna e causas de dor nas costas.

O criador desse método é o francês Joseph Pilates, que deu seu nome ao conjunto de exercícios que hoje conhecemos como Pilates. Ele foi desenvolvido no início do século vinte, e o seu objetivo principal era o de melhorar a saúde do próprio Pilates, e de seus companheiros sobreviventes da Primeira Guerra Mundial.

Aos poucos, ele foi aprimorando sua técnica, e acrescentou resistência de molas aos exercícios. A primeira aplicação dessas molas foi em pacientes hospitalizados, mas aos poucos ele foi expandindo o se uso, e acabou criando diversos aparelhos para aplicar os princípios e exercícios que ele desenvolveu, e que hoje são a base do Pilates.

O uso como ferramenta para o aprimoramento da capacidade funcional e como forma de atividade física foi feito em um primeiro momento por dançarinos, que se beneficiavam dos resultados dos exercícios, capazes de treinar ao mesmo tempo força muscular, equilíbrio, resistência e flexibilidade.

Foi apenas em na década de 80 que o método ganhou uma popularidade mais abrangente, a qual muitos recorrem seja para melhorar sua forma física, seja para tratar de alguma disfunção ou problema postural.

É muito comum que as pessoas procurem o Pilates, hoje, para corrigir problemas na coluna, mau alinhamentos e desvios posturais, e sobretudo controlar a dor à eles relacionada.

Princípios e metodologia do Pilates

O Pilates é diferente das outras técnicas de exercícios pois ele possui alguns princípios básicos, que fazem parte do fundamento desenvolvido por Joseph Pilates, e conferem características peculiares à modalidade. São eles:

·         Utilização constante do foco mental, objetivando sempre uma melhora do controle motor e da eficácia na realização dos movimentos;

·         Consciência da postura do indivíduo, e do alinhamento correto da coluna, durante todo o tempo, mas principalmente durante a execução dos exercícios;

·         Uso de respirações profundas para auxiliar na contração e no foco aos exercícios, bem como no trabalho muscular;

·         Trabalhar de forma concomitante a força, a flexibilidade e a resistência muscular.

Existem diversas formas de realizar os exercícios seguindo os princípios de Pilates, e dentre as mais comuns estão as sessões individuais, geralmente dispensadas para indivíduos com problemas mais específicos, sessões em pequenos grupos, quando o objetivo é mais de condicionamento do que de tratamento de alguma condição específica, ou sessões em grupos maiores, com objetivo de ser uma atividade física mais do que qualquer outro.

Hoje, diversas variantes do método, ainda seguindo os mesmos princípios, foram desenvolvidas. As sessões podem ser utilizando os equipamentos originalmente desenvolvidos por Pilates, ou utilizar tapetes, bolas e faixas para a realização dos exercícios. Diversos exercícios utilizam a penas o peso do próprio corpo, e não a resistência das molas, para gerar força muscular.

Além disso, o Pilates foi, ao longo do tempo, sendo combinado com diversas outras técnicas, como o Yoga, permitindo a integração dos princípios do Pilates à diferentes formas de exercícios, com criatividade e embasamento técnico, aumentando ainda mais as possibilidade do método.

Mas, ainda assim, uma das características mais marcantes e distintas do Pilates ainda é relacionada aos equipamentos utilizados no método.

Como dissemos acima, os equipamentos do Pilates utilizam molas para criar a resistência e trabalhar a força muscular. Isso é bom pois as molas podem ser reguladas, mais ou menos esticadas, oferecendo resistências variáveis, podendo um mesmo aparelho servir para diversos grupos musculares, diversos tipos de exercícios e treinamentos, para diferentes pessoas, e possibilitam inclusive uma progressão de carga.

O principal equipamento do Pilates é o Reformer. O aparelho oferece inúmeras possibilidades de exercícios, dependendo de como ele é utilizado, e pode ser usado tanto para exercícios básicos quanto para exercícios mais complexos e avançados, assim como todo aparelho de Pilates.

Outro aparelho muito comum no Pilates é o Cadillac, que também pode ser usado de várias formas. Algumas clínicas possuem apenas um Reformer, um Cadillac, algumas faixas, tapetes, e bolas, e já funcionam como um estúdio de Pilates, o que é perfeitamente possível, uma vez que esses equipamentos já oferecem uma enorme gama de possibilidades de exercícios e treinamentos, uma das inúmeras vantagens do método.

Pilates para dor nas costas

A dor nas costas é um sintoma bem chato, que pode afetar qualquer pessoa, de qualquer idade, em qualquer fase da vida. Com certeza você, alguma vez na vida, já sentiu dor nas costas, ou ao menos conhece alguém que sofre desse mal.

A dor nas costas é uma doença que afeta cerca de metade da população economicamente ativa dos Estados Unidos, e consome milhões anualmente em esforços para combatê-la. Logo, é uma doença muito importante, inclusive economicamente, e muito impactante na sociedade.

A notícia boa é a dor nas costas, na grande maioria das vezes, não ocorre devido a um problema médico sério. A maioria esmagadora das dores nas costas é causada, na verdade, por uma postura inadequada e hábitos do dia a dia que acabam por sobrecarregar a coluna.

Devido à isso o Pilates é tão popular com esse tipo de paciente, pois a dor nas costas de origem mecânica é facilmente tratada, ou mesmo prevenida, pelo Pilates, com uma programa de exercícios bem indicado e bem executado.

Pessoas com dores nas costas advindas de movimentos excessivos, exercícios mal executados, degenerações de discos intervertebrais, hérnias de discos, e alguns outros problemas médicos também de beneficiam muito com o Pilates, pois ele auxilia no melhor alinhamento da coluna e em uma melhor estabilização da mesma, reduzindo os sintomas e prevenindo a progressão dessas doenças.

Mas os pacientes com dos nas costas devem ter alguns cuidados especiais ao iniciar o Pilates, pois obviamente o exercício tem como objetivo melhorar o quadro, e não piorar ou trazer outros problemas. Logo, é importante ter algumas coisas em mente antes de começar.

Primeiro, antes de iniciar o seu treinamento e tratamento no Pilates, é importante consultar o seu médico ou fisioterapeuta, para saber se o método é realmente indicado para você e irá te ajudar no seu problema, e se não existe nenhuma contra-indicação para a sua realização.

Segundo, é fundamental verificar se o local e os instrutores de Pilates do local que você escolheu são capacitados para esse método, se possuem experiência, e as instalações adequadas. Além disso, procure saber se o seu (sua) instrutor (a) conhece bem sobre o seu problema de coluna específico, pois isso será importante para que o Pilates realmente gere bons resultados para você

Além disso, dependendo do problema na coluna, é aconselhável que o indivíduo comece com algumas sessões individuais, para que o instrutor conheça bem a pessoa, saiba do seu problema, o que pode e o que não pode ser feito, até onde ir, e o que funciona melhor para cada paciente.

Essa fase inicial é ainda mais importante se a pessoa nunca fez Pilates, se não conhece o método, e principalmente, se nunca fez nenhum tipo de atividade física. Isso porque o paciente precisa aprender os movimentos, pelo menos a base de execução dos exercícios do Pilates, ante de se aventurar em turmas mais cheias, onde os alunos são mais experientes e os instrutores não precisam dedicar tanta atenção individual a cada um deles.

Por mais que as sessões individuais sejam mais caras, em longo prazo, isso pode acabar fazendo com que a pessoa economize dinheiro, pois exercícios realizados de forma incorreta podem piorar o quadro, aumentar a dor, e, consequentemente, o tempo de tratamento e os gastos com ele.

Mesmo os mais simples movimentos do Pilates ajudam no alinhamento da coluna e na melhora da postura como um todo. Os exercícios base são muito importantes, pois eles dão a sustentação necessária para a realização dos exercícios mais complexos, logo, o aprendizado desses exercícios é fundamental antes que a execução de movimentos mais complexos seja realizada.

Inicialmente, o sujeito irá aprender exercícios de suporte que envolvem a musculatura postural profunda do tronco, bem como o alinhamento correto da postura, dos ombros e do quadril durante a realização dos movimentos. Esses exercícios são a base de todos os outros, e garantem que as sessões serão feitas de forma segura, sem que a dor piore.

Alguns exercícios do Pilates, em etapas mais avançadas do método, são muito complexos e possuem execuções muito complicadas, e podem inclusive ser contraindicados para pessoas com certos problemas na coluna.

Os exercícios que envolvem uma extensão excessiva da coluna, ou rotação ou flexão lateral, por exemplo, não são indicados para quem possui hérnia de disco, ou mesmo para quem está em estágios muito avançados de dor. Por isso é importante procurar um profissional especializado antes de iniciar as sessões de Pilates.

Outro ponto importante é evitar o excesso de treinamento. Como tudo na vida em excesso, a realização do Pilates até a exaustão pode prejudicar a coluna, e acaba por atrapalhar um dos princípios mais básicos do método, que é concentração e o controle mental dos movimentos, uma vez que a mente e o corpo cansados não conseguem manter a estabilidade necessária para a realização dos exercícios como eles devem ser.

Os exercícios do Pilates são, essencialmente, desafiadores. Mas eles não podem ser tão difíceis a ponto de a pessoa não conseguir realizá-los em uma sessão, ou apenas conseguir realizá-los de forma inadequada. Logo, se você está tento muita dificuldade nas suas sessões, isso significa que o seu instrutor não está te indicando corretamente os exercícios para o seu nível.

É importante ressaltar que, embora o Pilates ofereça inúmeros benefícios para a coluna, os resultados não aparecem do dia para a noite. Existe a necessidade de um treinamento contínuo, por certo período de tempo, para que os resultados comecem a aparecer.

Logo, o Pilates, como todo programa de exercícios, não é uma técnica milagrosa ou um método que vai resolver todos os seus problemas. Ele pode sim, te ajudar e muito, mas exige dedicação e constância.

Dicas para a realização dos exercícios do Pilates

O Pilates é um excelente método de treinamento para reduzir a dor na coluna e as alterações posturais que podem estar causando o desconforto. Mas para que isso ocorra, a execução correta dos movimentos é fundamental.

Além disso, os princípios básicos do método devem estar presentes no treinamento, para que os seus benefícios sejam realmente alcançados.

Listamos algumas dicas fundamentais para você que está pensando em começas, ou que já faz Pilates, para otimizar o seu tratamento e se ver livre da dor nas costas de uma vez por todas:

·         Se você está com dor nas costas, e principalmente se essa dor for muito intensa e limite algumas atividades do seu dia a dia, procure um médico antes de começar o Pilates;

·         Se, durante a execução de qualquer exercício, você sinta dificuldade excessiva, dor, ou qualquer desconforto, pare o exercício e comunique imediatamente o sue instrutor. O exercício pode estar muito difícil para você, ou mesmo pode ser um exercício que não é muito indicado para a sua condição;

·         Se você é novo no Pilates, ou se sua coluna ainda está um pouco frágil, certifique-se de aprender os movimentos básicos primeiro, antes de tentar os movimentos mais avançados. Se for o caos, invista em algumas sessões particulares até que você aprenda o suficiente e ganhe confiança para seguir em frente;

·         Mantenha a respiração correta, pois a execução adequada dos exercícios depende muito de um ritmo constante de inspiração e expiação. Com certeza você irá aprender isso nas suas primeiras sessões, onde aprende os movimentos básicos. Mais uma vez, destacamos a importância desse momento inicial;

·         Mantenha sua mente sempre presente no exercício. Certifique-se de, conscientemente, buscar o melhor alinhamento de ombros, coluna e quadril para a realização de cada movimento, exatamente da forma como o seu instrutor orientou;

·         E, acima de tudo, vá devagar, respeito seu corpo, e não faça nada que gere dor ou cansaço extremo. Seu corpo e sua coluna agradecem!

 

Viu como o Pilates pode ser bom para a coluna? Posto que você não sabia de todas essas informações. Ficou com alguma pergunta? Pode escrever ai nos comentários que a gente te ajuda a entender ainda mais sobre os benefícios do Pilates para a coluna!