OU
Ver todas as unidades

Cervicalgia: cura, sintomas, causas e fisioterapia

Cervicalgia: cura, sintomas, causas, tratamento e fisioterapia

Já ouviu falar sobre a cervicalgia? Saiba tudo sobre esta doença que afeta tantos brasileiros

A cervicalgia é uma dor localizada nas vértebras cervicais e pode ser dividida em duas categorias: crônica e aguda. Confira no nosso post de hoje tudo o que precisa saber sobre esta doença que aflige tantas pessoas.

O que é cervicalgia?

Como falamos, a cervicalgia é uma dor nas vértebras cervicais. Ela pode ser crônica, quando dura várias semanas ou aguda, quando dura alguns dias. A sua forma mais conhecida é chamada de torcicolo. Esta condição pode até parecer boba, mas afasta muitas pessoas de suas atividades rotineiras, como trabalho, academia e horas de lazer. A doença atinge muito mais as mulheres do que os homens.

Geralmente, esta condição é o resultado de traumas no pescoço, como movimentos bruscos, má acomodação na hora do sono ou permanecer por muito tempo em uma posição forçada.

A região cervical possui conexão direta e indireta com diversas partes do corpo, entre elas estão: a cabeça, ombro, caixa torácica e a região lombar.

Entendendo a coluna cervical

A coluna cervical é composta por sete vértebras, todas ligadas por músculos e ligamentos. Esta composição forma a ponte óssea entre a cabeça e o tronco, ela controla os movimentos da cabeça e assegura a sua sustentação. É a porção mais frágil da coluna vertebral.

Sintomas da cervicalgia

A cervicalgia pode se manifestar na forma de alguns sintomas. Lembrando que se você sentir um ou mais sintomas descritos, o médico precisa ser consultado. Confira:

  • Dor na nuca que pode irradiar para os ombros ou braços;
  • Rigidez na nuca;
  • Desconforto nos movimentos da cabeça;
  • Dores de cabeça;
  • Tonturas;
  • Formigamento no pescoço
  • Quando a dor se situa de um só lado e se espalha para o ombro ou braço, ela é chamada de nevralgia cervicobraquial.
  • Mudanças na postura;
  • Alteração da musculatura na área;
  • Alteração de força, sensibilidade e dormência no braço ligado ao local da cervicalgia.

Quando a dor cervical dura mais do que alguns dias é necessário procurar por ajuda médica. Se ela vem acompanhado por algum outro sintoma neurológico, como modificações na sensibilidade ou força muscular, o problema pode ser mais sério. Infecções na coluna, tumores, fraturas e compressões da medula espinhal são alguns exemplos.

Causas da cervicalgia

A cervicalgia pode ter diversas causas, entre elas temos:

  • Lesões musculares ou articulares: esta é a razão mais comum da doença aguda. Ele pode ser causada pela má postura ou algum movimento brusco;
  • Traumatismo cervical: um choque violento na nuca. Isto pode acontecer em algumas situações, como um acidente de carro ou em um mergulho mal feito, por exemplo;
  • Doenças infecciosas: estes são casos mais raros, como disfunção reumática ou tumoral;
  • Artrose das vértebras cervicais: um dos motivos da cervicalgia crônica;
  • Hérnia cervical;
  • Estresse: causa a rigidez muscular;
  • Mau condicionamento físico;
  • Má postura;
  • Obesidade;
  • Envelhecimento;
  • Estenose;
  • Fraqueza abdominal;
  • DDD (Doença Degenerativa Discal).

Tratamento da cervicalgia

Não existe um tratamento específico da cervicalgia, ele depende é adaptado de acordo com a causa do problema. Mais um motivo para a importância de consultar um fisioterapeuta ou médico quando os sintomas começam a aparecer. Contudo, qualquer que seja a causa da cervicalgia, uma boa solução é o ITC Vertebral (Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral).

O tratamento é um método não-cirúrgico de Reconstrução Músculo-Articular da Coluna Vertebral e é dividido em cinco etapas:

  1. Fisioterapia manual;
  2. Mesa de tração eletrônica;
  3. Mesa de flexão e descompressão;
  4. Estabilização vertebral;
  5. Busca por outras alternativas para manter os benefícios do tratamento, como pilates ou musculação.

Em um primeiro momento, o tratamento da cervicalgia busca aliviar a dor com analgésicos ou anti-inflamatórios. Os profissionais também aconselham aplicar calor na área dolorida para avaliar o incômodo. Em alguns casos, é recomendado o uso do colar cervical, contudo só use por alguns dias já que o movimento do pescoço acelera a cura.

Para quem possui a condição recorrentemente, o ideal é apostar em sessões de reabilitação e de musculação da nuca com fisioterapia e pilates para reforçar as vértebras cervicais. O Instituto Pilates, por exemplo, atua na área do fortalecimento da musculatura que sustenta a coluna vertebral. Aqui, o aluno trata a área dolorida por meio de atividade física controlada por profissionais especializados, que montam um programa de atendimento de acordo com as suas delimitações.

Quando a cervicalgia está relacionadas com questões emocionais, como estresse, o tratamento psicológico é indispensável.

Além dos remédios, os principais tratamentos para esta doença são:

  • Fisioterapia;
  • Pilates;
  • Massoterapia;
  • Quiropraxia;
  • Acupuntura;
  • Alongamento diário.

A cervicalgia e a postura

As alterações na postura têm grande responsabilidade por boa parte dos dores na área cervical devido aos encurtamentos musculares na área. As dores podem ser piores após dormir em posturas inadequadas ou ao executar um movimento brusco.

Quem possui a cervicalgia precisa evitar algumas posturas para reduzir ou acabar a dor. Entre elas, estão:

  1. Sentada ou deitada com flexão de cabeça mantidas por longos períodos. Comuns durante leituras, assistir televisão e mexer no computador.
  2. Inclinação lateral da cabeça e elevação do ombro ao atender ao telefone, quando coloca o apoio do aparelho entre a cabeça e o ombro.
  3. Utilização do membro superior em elevação durante muito tempo também deve ser evitado. Postura comum entre os cabeleireiros, garçons e outros.

Quando estiver nestas posições, pare a cada 50 minutos para fazer um alongamento muscular e neural nestas regiões.

Travesseiro e colchão para quem sofre da cervicalgia

Como falamos acima, a posição para dormir tem uma grande influência na dor da cervicalgia. Mas será que o tipo de travesseiro e colchão também fazem diferença para quem sente dores na região do pescoço e nuca? Sim, e muita.

Para um bom alinhamento da coluna vertebral, o colchão deve ser semi-ortopédico e com a densidade apropriada para cada indivíduo. Já o travesseiro não pode ser alto e nem deixar a cabeça fora do alinhamento. Também evite dormir de bruços, já que esta posição pode causar uma rotação cervical e gerar um desalinhamento entre as colunas cervical, dorsal e lombar.

Fisioterapia para quem tem cervicalgia

Lembra que comentamos que a fisioterapia podia ser uma forma de tratamento para a cervicalgia? Em especial quando a doença se tornou crônica, a avaliação de um fisioterapeuta é fundamental. Com a análise clínica, o profissional consegue traçar um diagnóstico e plano de tratamento apropriado.  

Normalmente, a avaliação é composta pela anamnese e pelo exame físico, que inclui uma estudo postural, dos movimentos da coluna, palpação de pontos dolorosos, testes específicos para a coluna cervical e uma análise neurológica analisando os reflexos, a força muscular, a sensibilidade e o comportamento da dor.

Por exemplo, no Instituto Pilates, antes de você começar a praticar a atividade é feito uma avaliação inicial. Nela, você apresente o seu histórico clínico e passa por alguns testes específicos, como avaliação de postura e força. Com os resultados em mãos, o profissional consegue criar um treino personalizado e individualizado, respeitando as particularidades e limitações do paciente. Um dos métodos que o Insituto Pilates foi desenvolvido em parceria com o ITC Vertebral (Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral), a maior rede de clínicas do país em um tratamento não-cirúrgico da coluna, específico para quem sofre com a cervicalgia.

As sessões de fisioterapia têm o objetivo de aliviar o quadro de dor ao mesmo tempo em que trata os espasmos musculares. Nos encontros devem ser inseridos exercícios que visam o fortalecimento muscular da área que fornece suporte à coluna cervical. Aliado à este trabalho, o fisioterapeuta também trabalha com a reeducação postural, em que se corrige as posturas incorretas da rotina diária do paciente, assim como os seus maus hábitos posturais.

Nas consultas realizadas para o tratamento da cervicalgia, são usadas alguns tipos de terapias. As principais são:

  1. Terapia manual: mobilizações vertebrais que auxiliam na restauração do movimento e promovem analgesia local;
  2. Eletroterapia: ultra-som, terapias combinadas e correntes analgésicas;
  3. Técnicas de libertação miofascial;
  4. Mobilização neural: movimentação dos nervos e raízes nervosas;
  5. Estabilização segmentar cervical: exercícios que pretendem ativar os músculos profundos que fornecem suporte à coluna cervical;
  6. Reeducação postural: correções posturais para melhoria do alinhamento;
  7. Ensino de estratégias de ergonomia: adaptações no local de trabalho, como o encosto da cadeira e  posição do computador.

Pilates para quem sofre da cervicalgia

Além da fisioterapia, outro tratamento recomendado para quem sofre com a cervicalgia é o pilates. Assim como nas sessões com o fisioterapeuta, esta atividade física tem o objetivo de fornecer ao paciente consciência postural, alívio da dor, mobilidade, controle neuromuscular dos músculos estabilizadores, mobilidade articular e muscular e fortalecimento muscular para estabilizar e dar resistência à fadiga.

Exercícios de pilates para quem tem cervicalgia

Para você entender um pouco melhor como o pilates pode aliviar o desconforto desta condição, separamos os principais exercícios de tratamento da cervicalgia. Confira: 

Mas, por que o pilates pode fazer tanta diferença no tratamento da cervicalgia? Esta atividade física trabalha com a estabilização e mobilização da coluna, melhorando a sua função nervosa e vascular. Além disso, corrige a postura, organizando a cabeça e o pescoço e aprimorando a consciência corporal e diminuindo o risco de lesões e recidivas. O pilates também melhora o ritmo escapulo-umeral, corrigindo movimentos compensatórios e diminuindo assim a sobrecarga na região cervical.

Por último, o exercício trabalha com com a respiração associada à ativação do power house, o que promove o equilíbrio muscular, a fim de restabelecer o alinhamento do corpo como um todo, e assim melhorando a dor cervical.

Você sente dores na nuca e coluna e não sabe o por que? Pode ser a cervicalgia. Para não sofrer mais com esta condição e reeducar a sua postura corporal, procure o Instituto Pilates. Os nossos profissionais altamente capacitados vão criar um treino de exercício que combine com as suas limitações e desempenho físico. Entre em contato para ter mais informações e marcar a sua primeira aula.